Mecanismo de defesa antioxidante de bactérias é desvendado

As células hospedeiras liberam substâncias tóxicas para tentar se livrar da presença indesejada, quando bactérias patogênicas invadem o corpo humano ou de outros mamíferos, segundo Agência Fapesp. 

Descoberta feita por pesquisadores da USP abre caminho para o desenvolvimento de antibióticos contra alguns gêneros de bactérias, entre os quaisStreptococcus e Pseudomonas

Mecanismo de defesa antioxidante de bactérias é desvendado | Agência FAPESP :: Especiais.

Anúncios

Desonestidade Contagiosa?

Para Refletir: Será verdade?

“Depois que trapaceamos ou mentimos, tendemos a mudar nossos próprios padrões morais, de modo que ficamos eticamente mais brandos com nós mesmos”… 
A biologia explica…????

  • Quanto mais cansados estamos, maior é a tendência a cometer deslizes.

  • As pessoas são mais honestas quando lembradas ou estimuladas a dizer a verdade”.

Dá para conter a desonestidade? 

Conheça as principais situações favoráveis aos deslizes e o que se pode fazer para minimizar nossa própria tentação 

1 Ficamos mais propensos a mentir ou cometer alguma sacanagem quando estamos cansados. Por isso, questões que envolvem dilemas morais devem ser resolvidas logo no início do dia, já que estamos mais dispostos.

2 Barriga vazia é uma das portas de entrada para a desonestidade. Encontre tempo para se alimentar bem mesmo quando a agenda parecer cheia demais.

3 Somos facilmente influenciados pelo mau comportamento alheio e tentados a usar a conduta dos outros para justificar nossos próprios atos. Preste atenção: não é porque seu amigo se deu bem contando uma mentira que você deve imitá-lo.

4 Não é raro que a gente utilize medidas diferentes para legitimar atitudes erradas, como achar menos grave tomar posse de um lápis do que de um relógio que não é seu. Tenha sempre em mente que o valor do objeto roubado não muda o fato de que ele foi roubado.

Moralidade total flex.

Concurso apoia novos negócios em Saúde e Biotecnologia

Atenção gente criativa!

Concurso voltado à criação de novos negócios em Biotecnologia e Saúde.

Inscreva-se! É só pagar taxa de R$ 30. As inscrições vão estar abertas até o dia 6 de outubro a quarta edição do BioBusiness Brasil.

Docentes, graduandos e pós-graduandos podem se inscrever até 6 de outubro na 4ª edição do BioBusiness Brasil e receber orientação on-line para elaborar projeto

Concurso apoia novos negócios em Saúde e Biotecnologia | Agência FAPESP :: Notícias.

Brasil pode ser protagonista em biocombustíveis para aviação

Existe no Brasil uma série de matérias-primas provenientes de oleaginosas, de fibras e resíduos, entre outras, que se mostram promissoras para a produção de bioquerosene, tais como  pinhão-manso, babaçu, cujo óleo é composto por ácidos com cadeias de carbono ideais para o desenvolvimento de um biocombustível para aviação.

De acordo com Al Bryant, vice-presidente da Boeing Tecnologia e Pesquisa,

“O Brasil poderá inovar não só regionalmente, mas também em escala global, assumindo uma posição de liderança em biocombustíveis para aviação e assegurando essa conquista por gerações”

Avaliação foi feita por participantes da Conferência sobre Biocombustíveis para Aviação no Brasil, que ocorre em Brasília

Brasil pode ser protagonista em biocombustíveis para aviação | Agência FAPESP :: Especiais.

Estudo mostra conexão entre abuso de álcool e AVC hemorrágico

Atenção

Bebidas alcoólicas definitivamente fazem muito mal para a sua saúde!

Pesquisa realizada na França mostra que os indivíduos que bebem mais que três doses de bebidas alcoólicas por dia correm o risco de sofrer AVC de tipo hemorrágico quase 15 anos mais cedo que os que não fazem uso pesado de álcool

Estudo mostra conexão entre abuso de álcool e AVC hemorrágico | Agência FAPESP :: Revistas Científicas.

Nonculturebased identification of bacteria in milk by protein fingerprinting Barreiro 2012 PROTEOMICS Wiley Online Library

Issue

PROTEOMICS

Special Issue: Proteomics in Brazil

PROTEOMICSNonculture-base  identification of bacteria in milk by protein fingerprinting Juliana Regina Barreiro1,Patricia Aparecida Campos Braga1,2,Christina Ramires Ferreira2,Markus Kostrzewa3Thomas Maier3,Beatrix Wegemann3Viktoria Böettcher3Marcos N.Eberlin2,*Marcos Veiga dos Santos1,*

Article first published online: 30 JUL 2012 DOI: 10.1002/pmic.201200053 © 2012 WILEY-VCH Verlag GmbH & Co. KGaA, Weinheim 
Nonculturebased identification of bacteria in milk by protein fingerprinting Barreiro 2012 PROTEOMICS Wiley Online Library.

Volume 12Issue 17pages 2739–2745, August 2012

 

Mulheres são mais vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas globais

Mulheres sofrem, parece que nascem para assumir uma vida de tarefas duras…dizem nobres, mas duras, e infelizmente nem sempre reconhecida.

Uma mãe, faz tudo pelo seus filhos, mas quantos agradecem?

Sacrificam suas carreiras profissionais pela família, mas são tidas como ignorantes.

E as que trabalham e são intelectuais, doam aos seus filhos tudo o que possuem, e quando na aposentadoria, se vêem pobres, precisando de favores, e amargam a decepção da ingratidão.

Mas a desgraça não acabou, tem mais, leiam o texto a seguir

Fatores socioeconômicos e culturais potencializam as vulnerabilidades do sexo feminino aos desastres provocados pelos eventos climáticos extremos, avalia pesquisadora mexicana que integra o IPCC (foto:Eduardo Cesar/FAPESP)

Mulheres são mais vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas globais | Agência FAPESP :: Entrevistas.

Especialistas alertam para a síndrome do melanoma familiar

Melhor ficar branquela…pois o câncer não está perdoando!!!!

Pessoas com casos na família têm risco pelo menos 30 vezes maior de desenvolver a doença e precisam de acompanhamento contínuo, defendem médicos durante o Congresso Mundial de Câncer de Pele (Wikimedia)

Especialistas alertam para a síndrome do melanoma familiar | Agência FAPESP :: Especiais.

Biblioteca Virtual da FAPESP registra recorde de visitação

 

Entre as novidades estão o agrupamento dos programas por categoria e a produção de páginas específicas para cada pesquisador que tem ou teve apoio da FAPESP

Biblioteca Virtual (BV) da FAPESP registrou em agosto um recorde de visitas em um único dia. Em 13 de agosto, a BV recebeu mais de 10 mil acessos, originários do Brasil e de diversos outros países, como Estados Unidos, Portugal, Alemanha e China.

O recorde de visitação é atribuído a uma série de recursos e mudanças técnicas implementadas nos últimos anos no sistema de informação da biblioteca virtual, com o objetivo de aumentar o acesso à informação do público em geral sobre os projetos e resultados de pesquisas apoiadas pela FAPESP.

Este mês, a página inicial da BV-FAPESP ganhou novo layout, que apresenta os auxílios, bolsas, programas de pesquisa apoiados pela FAPESP agrupados por categoria – como “Programas voltados a temas específicos”, “Programas de pesquisa direcionados à aplicação (empresas e governo” e “Programas de infraestrutura de pesquisa” –, além dos acordos e convênios de cooperação com instituições públicas e privadas nacionais e estrangeiras.

A BV também passou a disponibilizar mapas com a distribuição de fomentos para cada uma das linhas de apoio à pesquisa da FAPESP por município no Estado de São Paulo.

Ao clicar no mapa da distribuição de auxílios regulares à pesquisa, por exemplo, o visitante visualiza quais os municípios paulistas que contam com projetos apoiados pela FAPESP. Ao clicar em um determinado município, abre a lista de todos os projetos no local, divididos por área do conhecimento, situação – se está concluído ou em andamento – e por período.

Por meio do novo recurso, o usuário da BV-FAPESP localiza as regiões no Estado de São Paulo que apresentam maior número de projetos em determinadas áreas. Entre elas está a de Bioenergia, cujas pesquisas estão mais concentradas em universidades e instituições de pesquisa sediadas em municípios da região de Campinas.

“Os mapas de distribuição de fomento por município devem contribuir para os usuários identificarem mais facilmente oportunidades de colaboração científica com outros pesquisadores e instituições de pesquisa no Estado de São Paulo que realizam estudos em suas áreas e que muitas vezes estão próximos ou situados em uma mesma região”, disse Rosaly Favero Krzyzanowski, coordenadora da BV-FAPESP.

Outra novidade é uma página para cada pesquisador que tem ou já teve algum tipo de apoio concedido pela FAPESP. A página reúne informações categorizadas e sumarizadas de todas as bolsas no país e no exterior e auxílios à pesquisa em andamento ou que já foram concluídos, entre outros tipos de apoio, que o pesquisador tem ou obteve da FAPESP desde 1992.

A página também apresenta link para o Currículo Lattes, Research ID e Google Scholar Citation do pesquisador e traz uma relação de pesquisadores com quem mais colaborou em projetos, independentemente da condição – se como orientador, orientado ou pesquisador principal.

As páginas individuais dos pesquisadores podem ser acessadas diretamente no site da BV-FAPESP ou digitando o nome do pesquisador nos serviços de busca na internet, que atualmente representam a principal origem do acesso a elas. “As páginas foram programadas de forma a serem capturadas por buscadores, o que possibilita dar maior visibilidade à Biblioteca Virtual”, disse Krzyzanowski.

Referência para as FAPs

Com intuito de facilitar o acesso por pesquisadores do exterior e como parte dos esforços da FAPESP de internacionalização da ciência produzida no Estado de São Paulo, a maior parte do conteúdo da Biblioteca Virtual também está disponível na versão em inglês.

Desde 2010, a equipe de bibliotecários da BV-FAPESP se dedica a digitalizar os títulos e resumos de projetos apoiados pela FAPESP desde 1992, até então disponíveis somente em português no sistema Agilis, de onde os dados são migrados para a BV para disponibilizá-los na internet.

“O objetivo deste conjunto de ações é facilitar o acesso à informação pela sociedade em geral sobre onde a FAPESP investe seus recursos, que são provenientes do Tesouro paulista, de modo a dar uma satisfação para o contribuinte”, disse Krzyzanowski.

A BV-FAPESP foi lançada em 2005, utilizando uma metodologia e tecnologia de bibliotecas virtuais voltadas para a área da saúde desenvolvidas pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências (Bireme), que foi adaptada para a construção de uma biblioteca virtual em ciência e tecnologia.

A partir de 2009, iniciou um processo de migração para uma metodologia e tecnologias próprias, que possibilitaram o desenvolvimento de recursos, como o mapeamento da distribuição dos fomentos no Estado de São Paulo.

A metodologia e tecnologia criadas pela BV-FAPESP foram apresentadas no fim de julho em São Luís (MA), no Fórum Nacional dos Conselhos Nacionais de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti) e das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), despertando o interesse de dirigentes de algumas FAPs em adotá-las.

A BV-FAPESP deve registrar este ano um aumento de 50% de visitações em comparação com 2011. Os pesquisadores de países lusófonos, como Portugal, Moçambique e Angola, além dos Estados Unidos, Alemanha, França, Índia e China, respondem pelo maior número de visitas ao site originárias do exterior.

 

 

Biblioteca Virtual da FAPESP registra recorde de visitação | Agência FAPESP :: Especiais.

Universidades e institutos de pesquisa devem criar ambiente propício para estudos inovadores

Seria tão bom se o Paraná aprendesse as boas lições…mas a esperança dos paranaenses parece estar na UTI, afinal, corrupção ´´e o que não falta.

Já disse que tenho uma grande admiração pela FAPESP? Mas eles fazem por merecer!

Avaliação foi feita por Bruce Alberts, editor-chefe da Science e conselheiro científico do governo Obama, durante conferência na FAPESP (foto:Eduardo Cesar/FAPESP)

Universidades e institutos de pesquisa devem criar ambiente propício para estudos inovadores | Agência FAPESP :: Especiais.

USP planeja sistema centralizado de revisão e tradução de publicações

USP
torna-se indispensável aumentar o destaque da universidade paulista no cenário acadêmico internacional. Para tal, um conjunto de ações foram planejadas pela USP para ampliar o impacto de suas cerca de 200 publicações científicas.

 

Dentre muitas destaca-se uma ação de quem é destaque no cenário internacional:
  • o SIBi contratar empresas com qualidade internacional e passando a oferecer os serviços de revisão e tradução de artigos às publicações.

Objetivo da iniciativa é acelerar o processo de publicação das cerca de 200 revistas científicas publicadas pela universidade paulista (Sibi/USP)

USP planeja sistema centralizado de revisão e tradução de publicações | Agência FAPESP :: Notícias.

Nobel de Química relata saga para o reconhecimento dos quasicristais

Descoberta de cristais inusitados, em 1982, enfrentou o ceticismo da comunidade científica até ser aceita após mais de uma década, contou o israelense Daniel Shechtman em conferência na 64ª Reunião Anual da SBPC (foto:E.Alisson)

Nobel de Química relata saga para o reconhecimento dos quasicristais | Agência FAPESP :: Especiais.

Faça parte da corrente do bem

Transformar o mundo começa com cada um de nós

    • Você deve conhecer alguém que precise de ajuda, seja física, material ou emocional. 
    • Comece hoje mesmo.
    • Ajude e peça que repassem aquele ato adiante, para outras pessoas que também precisam dessa atenção.

corrente.jpeg

De um para três, de três para nove, de nove para 27 e daí por diante

  • Participar é muito simples: faça um favor a três pessoas (coisas que elas não possam fazer sozinhas) e peça que cada delas façam outros três favores a mais três pessoas.

  • Com cada pessoa fazendo algo de bom para outras três e assim sucessivamente, a rede aumentará em projeção geométrica, de três para nove, daí para 27 e assim em diante – em apenas duas semanas 4.782.969 pessoas poderão ser beneficiadas pela corrente.

Faça parte da corrente do bem — EcoDesenvolvimento.org: Sustentabilidade, Meio Ambiente, Economia, Sociedade e Mudanças Climáticas.

11º TEC-ES – Seminário Tecnologia para o desenvolvimento do Ensino Superior

A Techne, em parceria com a Microsoft, convidam para o seminário 11º Tec-ES – O impacto da mobilidade sobre o ecosistema educacional. O evento irá abordar como a internet móvel, celulares, smartphones, tablets, associados ao armazenamento na nuvem vão transformar o ecossistema de ensino-aprendizagem.
11º TEC-ES – Seminário Tecnologia para o desenvolvimento do Ensino Superior – Bem-vindos.

Fármaco brasileiro mostra potencial contra tuberculose e câncer

Cientistas descrevem em artigo na Infectious Agents and Canceros potenciais mecanismos de ação do P-MAPA, droga capaz de ativar receptores do sistema imunológico (Foto: Unesp)

Fármaco brasileiro mostra potencial contra tuberculose e câncer | Agência FAPESP :: Especiais.

Conheça o Hot Potatoes!

 JMatch: permite criar uma associação entre “colunas”.

https://i1.wp.com/www.eprofessor.com.br/images/stories/jmatch.jpg

Sua última versão 6, encontra-se disponível para as plataformas Windows, Linux e Mac. Para instalar o programa basta acessar o seguinte endereço: http://hotpot.uvic.ca/. Para fins educativos, o programa Hot Potatoes é gratuito! Apesar de não ser “freeware” é livre de encargos para organizações públicas, sem fins lucrativos e para o uso de educadores desde que mantenham as suas páginas disponíveis na rede. Já para outros tipos de usuários existe uma licença. O Hot Potatoes permite ainda salvar os documentos em *.pdf, *.doc e pode ser utilizado em ambientes virtuais de aprendizagem como a plataforma Dokeos ou o Moodle.

Para auxiliar no uso educativo desse programa seguem abaixo algumas sugestões de guias e tutoriais

  1. www.pgie.ufrgs.br/dicasonline/hotpotatoes
  2. www.acessus.net/html/tutoriais/potatoes/potatoes.htm
  3. www.cceseb.ipbeja.pt/Hotpotatoes/index.htm
  4. web.educom.pt/escolovar/hotpot_lp.htm
  5. www.eb23-guifoes.rcts.pt/NetMate/sitio/Hot-Potatoes.htm
  6. web.educom.pt/escolovar/hotpot_mat.htm

Conheça o Hot Potatoes!.

Blog Ciência Prática reúne dicas para pesquisadores

Sugestões sobre como estruturar artigos, responder a críticas de revisores e como se candidatar a bolsas em universidades norte-americanas estão em site de brasileiro professor da Oklahoma State University (reprodução)

Blog Ciência Prática reúne dicas para pesquisadores | Agência FAPESP :: Especiais.

EcoD Básico: Energia Eólica — EcoDesenvolvimento.org: Sustentabilidade, Meio Ambiente, Economia, Sociedade e Mudanças Climáticas

eolica

  1. Energia eólica é tida atualmente como a fonte energética mais promissora do mundo,por boa parte dos especialistas
  2. É produzida através dos ventos.
  3. É uma fonte renovável de energia, limpa e está disponível em diversas regiões do planeta. 
  4. Atualmente, o mercado da energia eólica já movimenta cerca de US$ 2 bilhões anuais em todo o planeta. Um dos empecilhos atuais para a instalação das centrais eólicas é o fato de que a energia gerada por essa alternativa costuma custar entre 60% e 70% a mais que a mesma quantidade oriunda de uma usina hidrelétrica. No entanto, financiamentos (sobretudo estatais) em todo o mundo têm conseguido reduzir esses valores.Houve um crescimento de 28,8% na produção dessa fonte energética em 2008, no comparativo com 2007, segundo dados da Global Wind Energy Council (GWEC). As instalações deste segmento geram 120,8 gigawatts (GW), equivalentes a nove vezes a capacidade instalada da Usina de Itaipu. O que isso significa? Esta potência quantitativa evitará que 158 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) sejam emitidos na atmosfera. Até o mês de junho de 2009, os principais produtores de energia eólica no mundo são:

1º Estados Unidos;
2º Alemanha;
3º Espanha,
4º Portugal
5º China
6º Áustria
7º Suécia

Brasil

Descontadas as reservas florestais e as cidades, onde não se poderiam erguer turbinas, pode-se dizer que o potencial de geração de energia eólica no Brasil é de 30 mil megawatts, o equivalente a potência de duas hidrelétricas do tamanho da Itaipu. No entanto, esse potencial é subutilizado. O Brasil tem hoje apenas 218 MW de capacidade instalada em parques eólicos no Ceará, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul. O maior deles está no município gaúcho de Osório, que produz 150 megawatts. Quando o assunto é a participação eólica no consumo mundial de energia eólica, o Brasil aparece na 10º colocação, com 0,23%.Países com maior participação eólica no consumo de energia elétrica – em porcentagem total:

1º Dinamarca – 21,4%
2º Espanha – 8,8%
3º Portugal – 7%
4º Alemanha – 7%
5º Índia – 1,7%
6º Inglaterra – 1,5%
7º Itália – 1,3%
8º Estados Unidos – 0,8%
9º França – 0,7%
10º BRASIL – 0,23%

EcoD Básico: Energia Eólica — EcoDesenvolvimento.org: Sustentabilidade, Meio Ambiente, Economia, Sociedade e Mudanças Climáticas.

Lixo recebe toneladas de ouro e prata por ano

Ouro e prata utilizados em equipamentos eletrônicos somam mais de US$ 20 bilhões por ano e, quando descartados, menos de 15% é recuperado, apontam instituições ligadas às Nações Unidas (divulgação)

Lixo recebe toneladas de ouro e prata por ano | Agência FAPESP :: Notícias.

O melhor estágio do universo

FAÇA A DIFERENÇA COMO CARLOS VINÍCIOS

VOCÊ TAMBÉM É CAPAZ, ACREDITE!!!!

Editora Globo O MUNDO DÁ VOLTAS: Carlos Vinícius nunca tinha sido chegado nos estudos, mas ao entrar na faculdade virou aluno exemplar…

Carlos Vinícius Andrade, mudou o rumo de sua vida ao pesquisar na internet e trocar e-mails com uma cientista americana. Isto resultou num estágio não-remunerado na Nasa. Em agosto e setembro, ele irá trabalhar no departamento de engenharia de software, ajudando a desenvolver sistemas inteligentes para o programa espacial americano.

O melhor estágio do universo.

Unesp lança biblioteca digital

As obras foram agrupadas conforme o assunto e relevância, formando diferentes coleções. 

A Biblioteca Digital da Unesp está dividida em quatro grandes núcleos:

  • “Hemeroteca”,
  • “Livros”,
  • “História de São Paulo” e
  • “Artes Visuais”.

 Há arquivos sobre “A Linguagem Matemática”, “Entomologia”, “Filósofos” e “Polêmicas Oitocentistas”, entre outras.

Acervo disponível para consulta na internet reúne livros, revistas, jornais, documentos históricos e reproduções de obras de arte (Unesp)

Unesp lança biblioteca digital | Agência FAPESP :: Notícias.

Bateria que pode ser aplicada como tinta

Que tecnologia interessante!!! Bateria que pode ser aplicada como tinta…

Tecnologia desenvolvida por cientistas da Universidade Rice pode transformar qualquer superfície em uma bateria recarregável. Aplicação pode ser combinada com células solares (Un.Rice).

A novidade foi publicada nesta quinta-feira (28/06) na Nature Scientific Reports revela que a bateria  é de íons de lítio e é  recarregável. Ademais  é aplicada como se fosse tinta em spray, em camadas, com cada camada representando os componentes de uma bateria convencional. 

Bateria que pode ser aplicada como tinta | Agência FAPESP :: Notícias.

Centro de pesquisa lança jogo educativo “Pesque & Salve”

Legal

Vamos jogar?

Objetivo do jogo feito por pesquisadores do Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos é estimular a conservação da água e a pesca esportiva

Centro de pesquisa lança jogo educativo “Pesque & Salve” | Agência FAPESP :: Notícias.

NERC lança programa com FAPESP

Enfim, há uma luz no final do túnel!

Programa com Natural Environment Research Council apoiará estudos sobre Processos da Biodiversidade e de Ecossistemas em Florestas Tropicais Modificadas pelo Homem (Wikimedia)

NERC lança programa com FAPESP | Agência FAPESP :: Especiais.

Unesp lança portal de materiais didáticos | Agência FAPESP :: Notícias

Como oportunidade de aperfeiçoamento de professores nas áreas de Humanas, Exatas e Biológicas, Unesp Aberta oferece gratuitamente materiais de cursos de graduação, pós-graduação e extensão

Unesp lança portal de materiais didáticos | Agência FAPESP :: Notícias.

O que você precisa saber sobre a Rio 20: para começo de conversa — EcoDesenvolvimento – Sustentabilidade, Meio Ambiente, Economia, Sociedade e Mudanças Climáticas.

rosquinha.jpg
A representação da Rosquinha/Imagem: Reprodução

EcoD inicia a série “O que você precisa saber sobre a Rio+20”, com as informações essenciais para quem quer entender e/ou participar da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Vale a pena consultar, clicando no link abaixo.

O que você precisa saber sobre a Rio 20: para começo de conversa — EcoDesenvolvimento – Sustentabilidade, Meio Ambiente, Economia, Sociedade e Mudanças Climáticas..

Top 10 das novas espécies inclui descobertas de brasileiros

Universidade do Estado do Arizona publica lista dos animais mais belos e curiosos descobertos em 2011, incluindo medusa do Caribe e tarântula azul, descritas com participação de cientistas brasileiros (divulgação)

Top 10 das novas espécies inclui descobertas de brasileiros | Agência FAPESP :: Especiais.

IPT testa degradação de sacolas de supermercado

Testes feitos com quatro tipos diferentes de sacolas vendidas ou distribuídas (IPT) revelam que nenhuma das amostras analisadas será degradada rapidamente na natureza.

IPT testa degradação de sacolas de supermercado | Agência FAPESP :: Notícias.

Atlas destaca remanescentes florestais da Mata Atlântica

Estados que mais desmataram, segundo resultados do levantamento realizado entre 2010 e 2011: Minas Gerais e Bahia

(Mata Atlântica/BIOTA-FAPESP

.

Inpe e Rede Clima lançam cartilha educativa para a RIO 20

A cartilha lançada pelo INPE e REDE CLIMA  tem caráter educativo e é voltado ao público em geral, apresentando temas que serão discutidos durante o RIO +20. Traz um histórico das conferências anteriores relacionadas ao meio ambiente e o conceito de “pegada ecológica” (metodologia usada para medir os rastros deixados pelos humanos no planeta a partir de seus hábitos). Conceitos de economia verde e sustentabilidade e a importância da erradicação da pobreza, que são temas que serão discutidos durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (RIO+20), que será realizada de 13 a 22 de junho no Rio de Janeiro são apresentados.

Inpe e Rede Clima lançam cartilha educativa para a RIO 20 | Agência FAPESP :: Notícias.

Easy dual-mode ambient mass spectrometry with Venturi self-pumping, canned air, disposable parts and voltage-free sonic-spray ionization – Analyst (RSC Publishing)

Journal Cover:Analyst, 2012, 137, 2537-2540
More about this Journal Editorial Board Submit an ArticleFollow Journal

An exceptionally easy to assemble source for ambient mass spectrometry is described. Based on Venturi easy ambient sonic-spray ionization (V-EASI), the source was further simplified by the use of a can of compressed air which simultaneously provides solution or solvent Venturi self-pumping and continuous, stable and abundant low-noise ion signal via voltage-free sonic-spraying. Further simplification was also attained by the use of inexpensive and readily commercially available parts: a surgical 2-way catheter, an aerosol can of compressed air, a 30 cm long fused-silica capillary and a hypodermic needle. This “Spartan” V-EASI source seems to offer one of the easiest and cheapest ways to make ions for ambient desorption/ionization mass spectrometry analysis of both liquid and solid samples.

Graphical abstract: Easy dual-mode ambient mass spectrometry with Venturi self-pumping, canned air, disposable parts and voltage-free sonic-spray ionization


Easy dual-mode ambient mass spectrometry with Venturi self-pumping, canned air, disposable parts and voltage-free sonic-spray ionization – Analyst (RSC Publishing).

 trabalho de autoria de Marcos Eberlin, da Unicamp, São Paulo, Brasil, e seus colegas

Programa Primeiros Projetos tem nova chamada | Agência FAPESP :: Notícias

Pesquisadores são convidados a apresentar propostas de instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa (FAPESP)

Programa Primeiros Projetos tem nova chamada | Agência FAPESP :: Notícias.

Academia Brasileira de Ciências – ‘A nova economia exige mais do indivíduo’, diz James Heckman

As forças maiores da natureza, das escolhas que os indivíduos tomam, em termos de escolhas sociais e políticas. As pessoas deveriam entender melhor a natureza das mudanças climáticas, que as escolhas que fazemos hoje afetam o futuro das próximas gerações, de seus próprios filhos e netos. Hoje o entendimento é com relação a como aumentar a qualidade de vida. Ter crianças entendendo as grandes consequências das ações privadas, até ações de desenvolvimento econômico é algo que as escolas poderiam fazer. As escolas, pais e outras instituições da sociedade deveriam ser parte deste projeto de formar cidadãos. Então é muito diferente de dizer que queremos professores que sejam capacitados para que os alunos atinjam boas notas em provas, como o Scholastic Aptitude Test (prova aplicada em estudantes nos EUA), isso é uma das partes, mas não é o todo. É importante educar pessoas para que pensem mais no resto da sociedade, produzindo um senso de sociabilidade e inclusão.

Academia Brasileira de Ciências – ‘A nova economia exige mais do indivíduo’, diz James Heckman.

Workshop sobre Mudanças Climáticas e Problemas Fitossanitários

A Embrapa Meio Ambiente realizará, nos dias 12 a 14 de junho, um workshop sobre Mudanças Climáticas e Problemas Fitossanitários.

O objetivo do encontro é discutir os impactos das mudanças climáticas sobre a produção agrícola, considerando os efeitos da temperatura, aumento da concentração de dióxido de carbono do ar, radiação UV-B e a distribuição geográfica e temporal.

Voltado para pesquisadores, estudantes, profissionais interessados e agricultores, a programação do evento será composta por palestras e apresentações de resultados de pesquisas realizadas na área no Brasil.

Workshop sobre Mudanças Climáticas e Problemas Fitossanitários | Agência FAPESP :: Agenda.

Prêmio José Reis tem inscrições abertas até 18 de maio

Edição deste ano reconhecerá instituição ou veículo que tornou mais acessível ao público conhecimentos de ciência e tecnologia

Prêmio José Reis tem inscrições abertas até 18 de maio | Agência FAPESP :: Notícias.

Espécies desconhecidas estão em hotspots

Pesquisa publicada na PNAS indica que a maioria das espécies ainda não descobertas vive em regiões consideradas prioritárias para a conservação da biodiversidade. 

Agência FAPESP::Revistas Científicas – A maioria das espécies ainda não descobertas vive em hotspots conhecidos – regiões que foram identificadas pelos cientistas como prioritárias para conservação da biodiversidade. A conclusão é de um estudo que será publicado em breve na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

De acordo com os autores da pesquisa, os resultados reforçam que os esforços recentes de conservação têm sido bem direcionados e deverão ajudar a diminuir as incertezas a respeito das prioridades na área. Outra conclusão do trabalho é que o risco de extinção para muitas das espécies ainda não conhecidas é maior do que se estimava até então.

“O estudo mostra que a maioria das espécies desconhecidas se esconde em algumas das paisagens mais ameaçadas no mundo. Isso aumenta significativamente o número de espécies ameaçadas ou em risco de extinção”, disse Stuart Pimm, professor da Nicholas School of the Environment na Universidade Duke e um dos autores.

Com recursos limitados e ameaças crescentes à natureza, pesquisadores que atuam no estudo da biodiversidade há tempos decidiram identificar áreas nas quais as ações de conservação pudessem salvar o maior número de espécies.

Essas áreas consideradas prioritárias são chamadas de hotspots da biodiversidade: locais com número incomum de espécies endêmicas e nos quais as taxas de perda de hábitat são extremas. O problema é que o conhecimento das espécies é seriamente incompleto, com um número muito elevado de espécies desconhecidas.

“Sabemos que temos um catálogo da vida incompleto. Se não conhecemos quantas espécies existem, ou onde elas vivem, como poderemos estabelecer locais prioritários para conservação? E se as áreas que ignoramos forem as que têm mais espécies desconhecidas”, disse outro autor do estudo, Lucas Joppa, da Microsoft Research em Cambridge, Reino Unido.

Para lidar com esse dilema, Joppa e colegas criaram um modelo computacional que integra efeitos taxonômicos durante o transcorrer do tempo de modo a estimar quantas espécies de plantas com flores – que formam a base do conceito de hotspot de biodiversidade – ainda existem para serem descobertas.

Em seguida, o conjunto de dados foi comparado com os dados existentes de regiões atualmente identificadas como prioritárias para a conservação. Os dois conjuntos de dados bateram.

O modelo estimou que seis regiões identificadas como hotspots – do México ao Panamá; Colômbia; do Equador ao Peru; do Paraguai ao sul do Chile; o sul da África; e Austrália – contêm 70% de todas as espécies desconhecidas.

“É um grande alívio saber que os locais em que mais investimos recursos são os mesmos que abrigam a maioria das espécies ainda não descobertas”, disse David Roberts, da Durrell Institute of Conservation and Ecology na Universidade de Kent, Reino Unido, outro autor da pesquisa.

“Os resultados do estudo realmente validam todo o tempo e esforço que temos colocado na luta pela preservação da biodiversidade global. Agora, podemos continuar a tentar salvar esses locais únicos e ameaçados”, disse Norman Myers, da Universidade Oxford, que lançou o conceito dehotspot em 1998.

O artigo Biodiversity hotspots house most undiscovered plant species (doi/10.1073/pnas.1109389108), de Lucas Joppa e outros, poderá ser lido em breve por assinantes da PNAS em www.pnas.org/cgi/doi/10.1073/pnas.1109389108.

Espécies desconhecidas estão em hotspots | Agência FAPESP :: Revistas Científicas.

Você já viu um átomo?

VEJA o ÁTOMO: imagens REAIS de átomos
Você sabia que hoje já podemos VER os ÁTOMOS? Graças a técnicas avançadas de microscopia, já podemos enxergar na escala atômica. Conheça aqui o AFM e veja imagens reais de átomos de vários elementos. Apresentado por seu Canal Fala Química (https://www.facebook.com/home.php?ref=hp#!/photo.php?v=10150370399887759 ).

Duração: ‎5:06

‘Super-Lua’ este fim-de-semana – Ciência – DN

'Super-Lua' este fim-de-semana
A Lua  parecerá maior este fim-de-semana. Irá alinhar-se com a Terra e o Sol e ficará completamente cheia. Poderemos falar de uma ‘Super-Lua’, já que estará cerca de 14% maior e 30% mais brilhante.

Por ser a Lua mais brilhante e maior dos últimos vinte anos, Geoff Chester, do Observatório de Washington, disse ao site da NASA que vale a pena ir à janela este fim-de-semana”, já que “a última Lua cheia tão grande e tão perto da Terra ocorreu em março de 1993.

25 maneiras de usar o Twitter em sala de aula e conquistar seus alunos

O guia a seguir você poderá encontra 25 maneiras para usar o Twitter na sala de aula. As tarefas são dividas em três níveis de dificuldade (fácil, médio e difícil), mas podem estar entre mais de um nível, dependendo da preferência do professor. Confira:

Confira como usar o Twitter em sala de aula e conquistar seus alunos: Maneiras de usar o Twitter em aula – Atividades Fáceis: As atividades fáceis podem ser chamadas de “tarefas visuais”. Os alunos apenas observam seus posts e seguem informações que você oferece através de seu perfil.

  • Postar metas diárias de aprendizagem
  • Seguir especialistas
  • Promover links interessantes
  • Observar conversas entre não-especialistas
  • Calcular fluxos de informação constantes (tendências de assuntos ou novidades)
  • Relembrar tweets “velhos” mas relevantes
  • Identificar fontes de informações diferenciadas e interessantes, mas que são pouco divulgadas
  • Moderar conversas com profissionais do mundo da educação

Maneiras de usar o Twitter em aula – Atividades Médias: Durante as atividades de dificuldade média os alunos poderão interagir com o professor e até mesmo produzir seu próprio material a partir de tweets. Essas tarefas variam de dificuldade e podem alcançar o nível difícil. É importante que o professor tenha domínio da rede social e facilidade em explicar as atividades.

  •  Criar e promover hashtags relevantes.
  • Analisar a matemática por trás de um tweet viral.
  • Analisar o fluxo de um tweet (por exemplo: o raio de alcance da informação).
  • Teorizar o relacionamento de causa e efeito dos
  • Participar e organizar conversas sobre assunto discutido durante apresentações
  • Divulgar trabalhos e teses desenvolvidas em aula
  • Resumir ideias ou tópicos principais das aulas
  • Conduzir entrevistas com mentores
  • Distinguir os conceitos de retórica (credibilidade, emocional e lógica) em tweets

Maneiras de usar o Twitter em aula – Atividades Difíceis:

As tarefas difíceis exigem que o docente possua domínio e entendimento da ferramenta e que tenha experiência com as técnicas por trás do Twitter.
  • Criar “nuvens de palavras” (lista de tags) a partir de fluxos de tweets selecionados para avaliar e medir audiência e linguagem
  • Criar um mapa conceitual para avaliar os fatores sociológicos e geográficos de um tweet ou hashtag e sua distribuição
  • Fomentar discussões para avaliar opinião pública
  • Criar perfis ficcionais de personagens literárias, escritores, personalidades históricas enquanto um assunto é desenvolvido em aula por períodos mais longos Usas os 140 caracteres como um mini-blog, especialmente para alunos com dificuldade de escrita
  • Fazer com que os alunos sejam responsáveis por discussões e conversas
  • Criar contas satíricas e engraçadas que ataquem ideias desenvolvidas em sala de aula para fomentar a discussão entre os alunos
  • Usar o mapa do Twitter para analisar tendências geográficas: posição nos trending topics,idioma, uso de hashtag, sintaxes, etc

 Fonte: Universia Brasil

25 maneiras de usar o Twitter em sala de aula e conquistar seus alunos.

Portal FBDE NEXION Linked – A Nova Ciência dos Networks


Coleção: FRONTEIRA DO CONHECIMENTO
Autor: BARABASI, ALBERT-LASZLO
Editora: LEOPARDO EDITORA
Assunto: ADMINISTRAÇÃO
ISBN: 8528906124
ISBN-13: 9788528906127
Idioma: Livro em português
Encadernação: Brochura
Dimensão: 16 x 23 cm
Edição: 1ª
 Ano de Lançamento: 2009
 Número de páginas: 256

No livro ‘Linked’, o autor verificou que os sites que formam a ‘world wide web’ (www) tem determinadas propriedades matemáticas que dependem de três condições para ocorrer. A primeira é que a rede tem de se expandir, crescer. Tal condição de crescimento é muito importante, assim como a idéia de emergência que a acompanha. Está em constante evolução e adaptação e existe acentuadamente com a rede (www). A segunda refere-se a conexões preferenciais, ou seja, novos integrantes vão querer ligar-se a hubs, que participam da rede com mais conexões. A terceira denomina-se aptidão competitiva, que, em termos de rede, implica sua taxa de atração.

. Portal FBDE NEXION . Linked – A Nova Ciência dos Networks.

Indicação Geográfica

O INPI deferiu as Indicações Geográficas:
  • Queijos da Canastra (MG) e os Calçados de Franca (SP), ambos na modalidade Indicação de Procedência (20 de dezembro de 2011),
  • Opalas e Joias Artesanais de Pedro II, na modalidade Indicação de Procedência,em Pedro II, no Piauí (17 de janeiro de 2012).
Elas se juntam às outras Indicações Geográficas concedidas para brasileiros:
  • O café do Cerrado Mineiro (MG),
  • O vinho do Vale dos Vinhedos (RS),
  • A carne do Pampa Gaúcho (RS),
  • A cachaça de Paraty (RJ),
  • As uvas e mangas do Vale do Submédio São Francisco (BA/PE),
  • O couro acabado do Vale do Sinos (RS),
  • O café da Serra da Mantiqueira (MG),
  • O arroz do Litoral Norte Gaúcho (RS), Os vinhos de Pinto Bandeira (RS),
  • O artesanato em capim dourado do Jalapão (TO),
  • Os doces de Pelotas (RS),
  • Os camarões de Costa Negra (CE),
  • As panelas de barro de Goiabeiras (ES) e
  • O queijo do Serro (MG).
www.inpi.gov.br

 

12º Workshop de Plantas Medicinais | Agência FAPESP :: Agenda

Entre os dias 8 e 11 de maio de 2012,  as Divisões de Agrotecnologia e de Fitoquimica do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizam o 12º Workshop de Plantas Medicinais.

Afim de fornecer conhecimentos teóricos e práticos sobre a produção de plantas medicinais, o curso visa promover a melhora da qualidade no cultivo de plantas medicinais e na produção de extratos destinados a fitomedicamentos.

12º Workshop de Plantas Medicinais | Agência FAPESP :: Agenda.

Relação entre cientistas e jornalistas é debatida em seminário | Agência FAPESP :: Especiais

A divulgação científica foi discutida em Seminário promovido pela FAPESP, assim como a importância da relação entre cientistas e jornalistas.

Neste Seminário Clive Cookson, editor de Ciência do jornal Financial Times,  listou em sua fala, os três principais problemas que, para ele, afetam a qualidade do jornalismo científico:

  •  a tendência de abordar os resultados de pesquisas de forma exagerada e sensacionalista
  • a tendência de abordar os dados de forma negativista, o que pode causar distorções, pois  “A ideia é que notícia ruim vende mais”, 
  • a divulgação de notícias não objetivas, permeadas de interesses políticos. “Cientistas devem se ater à ciência. 

Relação entre cientistas e jornalistas é debatida em seminário | Agência FAPESP :: Especiais.